Publicações

Publicações

Bem-vindos à pagina de publicações da equipe Ceops! Aqui você tem acesso a todas as publicações acadêmicas feitas por nós, com artigos dos mais variados assuntos, tanto do mundo jurídico, quanto interdisciplinares, e textos tanto longos quanto curtos. Aproveite a leitura!

 

A cultura do estupro e o “estupro culposo:

“Fica realmente difícil para uma mulher sozinha conseguir reverter todo um arcabouço social e jurídico pensado para violá-la das mais diversas maneiras, sejam diretas ou indiretas.”

 

Anticoncepcional, direito ao nome e o caminho necessário para alcançar uma decisão justa:

“O que se vê, do exposto, é que a colocação do prenome “Diane” serviu tão somente como modo de chacota, de modo a questionar a mãe pela ineficácia do mecanismo preventivo que nada preveniu na concepção da infante.”

 

Sobre aliens, fascismo e o Cthulhu à brasileira:

“Por décadas, foi semeado no imaginário popular que a dominação e a barbárie viriam dos céus, com naves e monstros espaciais, como o imaginado por Lovecraft. Mas a ameaça real é terrena; tem rosto e nome — e, por isso, pode ser derrotada”

 

O diploma de engenharia como excludente de ilicitude:

“Em dois casos recentes, o retrato da elite brasileira: após mostrar os dentes, covardemente tenta se safar de punições, agarrando-se a seus privilégios. O que essas “carteiradas” revelam sobre o fenômeno do bacharelismo e nosso Código Penal?”

 

Salário emocional, nova tática para precarizar:

“Em vez salário dignos e condições salubres, empresas tentam fisgar trabalhadores por meio de ‘contatos’ e ‘benefícios’. Porém, termos vazios não pagam contas – e podem normalizar, ainda mais, a autoexploração”

 

Nova lei de trânsito e o punitivismo tosco:

“Além de aumentar validade da carteira de habilitação e número de pontos para suspensão, norma supostamente evitaria que criminosos do trânsito fiquem impunes. Mas não é mais que jogada midiática e de populismo penal”

 

A alfafa e o jumento:

“Sem cair no argumento neoliberal de que todo gasto é torra de dinheiro do povo com inutilidades, façamos uma análise simbólica arquetípica dos gastos do governo.”

 

A falácia do “relógio” biológico e a quem ele serve:

“O relógio como parâmetro de vida é um projeto que, desde os primórdios, atendeu aos interesses do projeto capitalista.”

 

Bauman, a música brasileira e o consumo desenfreado:

“A inserção do indivíduo na roda do consumo, para preencher o vazio interior; mas, assim que se consome, o vazio volta a se manifestar, em um trágico exemplo de ciclo vicioso.”

 

A Nem Tão Magna Carta:

“Dentre as respostas mais clássicas sobre a relevância do texto britânico, assinado em 15 de junho de 1215 na campina de Runnymede, dentro do condado de Surrey, temos pontuações sobre o Constitucionalismo, perpassando também em grande medida a referências ao devido processo legal e a outros temas de alta importância. “

 

As Relações Das Fases – E Dos Processos – De Conhecimento E Execução Com As Figuras Mitológicas Da Justiça (Diké E Iustitia):

“…realmente importante se faz uma análise das possíveis mensagens advindas das figuras gregas e romanas da Justiça, na medida em que dentro do métier jurídico há mais de milênios.”

 

Casamento às cegas: vale ou não?:

“O programa a todo instante busca responder se ‘amor às cegas dá casamento?’. Bom, juridicamente, não. Quem sabe uma união estável?”